• KRUSH-IT

A alimentação na Endometriose

A Endometriose é uma das doenças pélvicas mais comuns associadas ao sexo feminino que se manifesta durante o período de idade fértil, e que se caracteriza pelo crescimento do tecido endometrial fora do útero. De acordo com o grau de gravidade, esta doença manifesta-se em três formas diferentes:

  • peritoneal ou superficial, considerada como uma condição fisiológica em mulheres durante os anos reprodutivos;

  • de ovário, que ocorre com o aparecimento de cistos nos ovários da mulher;

  • e profunda que é o tipo mais grave, que pode manifestar-se nos lugares menos comuns como no intestino, na bexiga, no diafragma, na vagina e na parede abdominal.

Os sintomas mais comuns, embora com diferentes intensidades, que as mulheres que têm endometriose apresentam são: obstrução intestinal, dores crónicas, cistos nos ovários, alterações urinárias, infertilidade. Há também algumas mulheres que não apresentam sintomas nenhuns.


O tratamento dos sintomas envolve medicação, cirurgia e cuidados a nível alimentar. A nutrição é um dos apectos relacionados com a origem e progressão da doença e que deve ser utilizada como uma forma de tratamento. Dietas deficientes em nutrientes resultam em alterações no metabolismo lipídico, stresse oxidativo e provocam mudanças negativas a nível epigenético que podem estar relacionadas com a endometriose. Assim, uma dieta rica em vitaminas e minerais, fibras, antioxidantes e ácidos gordos possuem um efeito positivo sobre os sintomas da endometriose.


A nível de suplementação, é recomendado a toma de vitamina A, C, E, ómega 3, magnésio e vitaminas do complexo B. Os benefícios decorrentes do consumo destes nutrientes podem evitar a evolução de processos que prejudiquem o endométrio, no que diz respeito a prevenção; e no tratamento, contribuir para tratar os sintomas.


A diminuição do consumo de carnes vermelhas, soja, glúten, gorduras trans e saturadas, álcool e cafeina é também aconselhável.

Bibliografia:


Parazzini F., Viganò P., Candiani M., Fedele L. Diet and Endometriosis risk: A literature review. RBMO. 2013; 26(4):323-336.


Halpern A., Schor E., Kopelman A. Nutritional aspects related to endometriosis. RAMB. 2015;61(6).


Hujis E., Nap A. The effects of nutrients on symptoms in women with endometriosis: a systematic review. RBMO. 2020; 41(2):317-328.

Santos A., et al. Nutrientes que auxiliam na prevenção e tratamento da endometriose. Método do Saber. 2015; 09 (06):50-53.

Por: Ana Patrícia Santos: Nutricionista estagiária do clube de saúde Kalorias Torres Vedras, membro estagiário da Ordem dos Nutricionistas nº3104NE

Posts recentes

Ver tudo