top of page

Dicas para aumentar o aporte hídrico no Inverno

A água acarreta vários benefícios no organismo humano. Para além de ser o maior transportador de nutrientes, permite ainda a regulação da temperatura corporal, um bom funcionamento do trânsito intestinal, uma maior irrigação dos tecidos, melhoria de funções cognitivas, entre outras funções.


Não existindo exatamente recomendações bem definidas para o consumo de líquidos, segundo a EFSA - Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar, as recomendações de ingestão para um adulto (contabilizando apenas a ingestão de fluidos) do sexo masculino serão de 2L e para o sexo feminino de 1,6L. O ideal seria que estivesse atento à cor da sua urina, já que este será o melhor indicador para compreender se se encontra num bom estado de hidratação. Para tal, esta deverá encontrar-se o mais transparente possível.


No entanto, com a chegada do tempo frio verifica-se uma maior tendência para a diminuição da ingestão de líquidos. Assim sendo, seguem algumas dicas para tentar contrariar esse comportamento!


1. Infusões

A principal alteração que se associa a esta época verifica-se com a ingestão de água simples devido à sua temperatura. Apostar em infusões mornas a quentes ajudará bastante.

Se por outro lado, preferir o consumo à temperatura ambiente ou fria, mas a ausência de sabor for algo que o incomoda, pode recorrer a este tipo de estratégia. Quer seja por deixar a infusão arrefecer ou optando por infusões a frio (saquetas ou simplesmente colocar diretamente na água frutos vermelhos, paus de canela, rodelas e gotas de limão ou laranja, folhas de hortelã, pepino, etc.).


2. Aumento do consumo de sopa e confeções com maior teor de água

No momento de hidratação, nada melhor que a água ou infusões naturais. Porém, para além destes, aumentando o consumo de géneros alimentícios com um maior teor de água ajudará no processo. Por exemplo, sopas, caldeiradas, hortofrutícolas - nomeadamente, tomate, pepino, laranja.


3. Ter sempre uma garrafa por perto

Temos tendência a consumir o que vemos. Se mantivermos a garrafa de água junto a nós, mais facilmente nos lembraremos de ingerir líquidos. Por outro lado, o facto de manter a água a temperatura ambiente fará com que, de acordo com o ponto número 1, o seu consumo possa ser mais facilitado.


4. Rotina hídrica

Não é novidade que o ser humano é um ser de hábitos. O consumo de água, especialmente para quem tem maior dificuldade, deverá iniciar-se com a criação de uma rotina que mais tarde passará de uma “obrigação” para uma necessidade. Alguns exemplos poderão incluir a ingestão de 1 copo de água ao acordar, antes das refeições, etc.; associar a determinadas rotinas de trabalho, por exemplo, caso inicie o seu dia a responder a emails, no final beber água; entre outros eventos.


5. Lembretes/Notificações

Com a correria do dia-a-dia muitas vezes não consumimos líquidos suficientes apenas por esquecimento. Assim, da mesma forma que coloca lembretes ou notificações para não se esquecer de determinado evento, experimente fazer o mesmo com a água. Atualmente, consegue facilmente recorrer também a outras soluções, nomeadamente aplicações pensadas já para o efeito em que poderá inclusive definir objetivos diários e ir rastreando a quantidade ingerida até ao momento, podendo funcionar como uma fonte de motivação.


 

Referências:

EFSA, 2010. https://doi.org/10.2903/j.efsa.2010.1459.


 

Por: Andreia Matos Ribeiro: Nutricionista do clube de saúde Kalorias Braga, membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas nº4854N ( andreiaribeiro@kalorias.com )

15 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page