“Dia da Asneira”: sim ou não?

Muitas pessoas determinam um dia da semana ou esperam que chegue o fim-de-semana para fazer refeições com mais densidade calórica, mais processadas, por norma, ricas em açúcares e gorduras.


Se podemos fazer uma refeição semanal com maior teor calórico, sem prejuízo de comprometer os objetivos que temos? Claro que sim. Mas se esses tais “dias da asneira” significam comer tudo o nos aparece à frente, em quantidades exageradas, sem nenhuma atenção… Não!


A maioria das pessoas esquece-se que esses dias podem atingir facilmente um teor calórico de 2500 a 3000 kcal. Se estiverem num processo de perda peso, a consumir em média 1500 kcal diárias, um dia ou dois com um volume calórico excessivo compromete, com toda a certeza, esse processo.


Se não existir nenhum evento importante, como um aniversário ou um almoço de família, mas não lhe apetecer algo específico que faça “sentido” na sua rotina alimentar, porquê ter obrigatoriamente de fazer uma refeição super calórica? Simplesmente porque é o tal “dia da asneira” ou porque é fim-de-semana? Não parece ser uma boa prática.


As ditas “asneiras” são no fundo momentos alimentares muitas vezes proporcionados por situações de convívio social ou simplesmente porque em algum momento nos apetece algo diferente, que podem fazer parte de um estilo de vida saudável, mas que devem acontecer quando fizer sentido e quando se proporcionar e não só porque sim.


Muitas vezes esta necessidade de estipulação de um dia para comer algo diferente, que não faz parte da rotina alimentar, é provocado por uma restrição alimentar excessiva durante a semana ou por comida insatisfatória ao nível do sabor no dia-a-dia. Muitas vezes composto por refeições com alimentos sem grande sabor, cozidos ou grelhados, porque a maioria das pessoas apenas associa estes dois métodos de confeção à alimentação dita saudável, o que não é verdade.


É por isso importante fazer refeições saborosas, variar os métodos de confeção, os temperos, os ingredientes, de forma a mantermos a satisfação com a nossa rotina alimentar diária. Devemos também evitar refeições vindas de fora, porque não temos conhecimento dos métodos de confeção, e por norma têm uma adição maior de açúcar, sal e gordura. Quando confecionamos as nossas próprias refeições em casa essa gestão é feita de forma mais eficaz, com ingredientes de melhor qualidade.


 

Fonte:

· APN (2014). E-book: Dieta Mediterrânica – um padrão de alimentação saudável.

· Alvarenga, M., Figueiredo, M., Timerman, F. & Antonaccio, C. (2015). Nutrição Comportamental.


 

Por: Anita Martins: Nutricionista do clube de saúde Kalorias Expo e Bobadela, membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas nº2827N

32 visualizações

Posts recentes

Ver tudo