O consumo de bebidas alcoólicas pode estar a afetar o emagrecimento

Deverá estar atento ao consumo de bebidas alcoólicas, especialmente se estiver em processo de emagrecimento, dado que estas bebidas podem inibir o défice calórico necessário ao emagrecimento. Além disso, é frequente encarar-se o consumo de álcool como um extra, não havendo uma compensação, o que pode induzir ao ganho de peso.


Destacam-se de seguida algumas das razões que fazem do consumo excessivo de álcool um entrave ao emagrecimento:

  • O álcool tem elevada densidade calórica: Não podemos ignorar o contributo energético do álcool. Estas bebidas fornecem calorias líquidas e “vazias”, dado que não providenciam nenhum valor nutricional. O seu valor energético provém essencialmente do álcool, visto que 1g de álcool fornece 7Kcal e, em alguns casos, também provém da adição de açúcar (p. ex. sidras, coquetéis e licores).

Fique a saber os valores calóricos de algumas das bebidas alcoólicas mais consumidas:

1 sidra de maçã (330ml) = 198Kcal

1 gin tónico (50ml de gin + 200ml de água tónica) = 184Kcal

1 cerveja branca (330ml) = 162Kcal

1 dose de águardente (50ml) = 154 kcal

1 copo de sangria branca (200ml) = 150kcal

1 cerveja preta (330ml) = 145kcal

1 copo de vinho maduro branco (200ml) = 144kcal

1 copo de vinho rosé (200ml) = 144kcal

1 copo de vinho maduro tinto (200ml) = 132Kcal

1 dose de brandy (50ml) = 123kcal

1 flute de espumante meio seco (150ml) = 120Kcal

1 dose licor de ginja (50ml) = 119kcal

1 copo de vinho verde branco (200ml) = 118kcal

1 copo de vinho verde tinto (200ml) = 114kcal

1 dose de whisky (44ml) = 98kcal

1 cálice de vinho do Porto meio seco (50ml) = 69Kcal;


  • Maior tendência a comer em demasia: Além de adicionar calorias a uma refeição, o álcool pode, na verdade, estimular a ingestão de alimentar. O consumo moderado de álcool tende a relaxar e a desinibir, conduzindo ao aumento da ingestão alimentar. Parece haver uma maior propensão para o consumo específico de alimentos salgados e com elevado valor calórico;


  • O consumo de álcool inibe a oxidação (queima) de gordura: O consumo regular de álcool pode levar à poupança da gordura armazenada, inibindo a oxidação de gordura e, portanto, a longo prazo, pode conduzir a um aumento da percentagem gordura corporal;


  • A privação de sono pode aumentar a ingestão de álcool: Dormir pouco (<6h noite) parece estar associado a maior consumo de álcool e ao excesso de peso em adultos. Indivíduos em privação de sono têm maior risco de desinibição para consumo de bebidas alcoólicas e para o excesso de peso; Se gosta de beber um copo de vez em quando, consuma de forma bastante moderada, consciente do seu contributo energético e dos riscos associados. Para controlo do consumo alcoólico, procure intercalar o álcool com copos de água, beba num copo mais pequeno e opte por bebidas alcoólicas com menor teor alcoólico (p. ex. vinho ou cerveja).

Referências bibliográficas:


Schrieks, I. C., Stafleu, A., Griffioen-Roose, S., de Graaf, C., Witkamp, R. F., Boerrigter-Rijneveld, R., & Hendriks, H. F. J. (2015). Moderate alcohol consumption stimulates food intake and food reward of savoury foods. Appetite, 89, 77-83.

Traversy, G., & Chaput, J.-P. (2015). Alcohol consumption and obesity: an update. Current obesity reports, 4(1), 122-130.

Yeomans, M. R. (2010). Alcohol, appetite and energy balance: is alcohol intake a risk factor for obesity? Physiology & behavior, 100(1), 82-89.

Fonte da composição nutricional de alimentos: Tabela Portuguesa de Alimentos V 3.2 – 2018

Por: Marta Amaral Pinheiro: Nutricionista do clube de saúde Kalorias Braga, membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas nº4198N ( martapinheiro@kalorias.com )

34 visualizações

Posts recentes

Ver tudo