Beterraba e os seus benefícios

A beterraba é um tubérculo constituído por nutrientes essenciais, sendo uma fonte de fibra, folato (Vitamina B9), manganês, potássio, ferro e vitamina C. Tanto a beterraba como o seu sumo têm vindo a ser associados a inúmeros benefícios para a saúde, incluindo a melhoria do fluxo sanguíneo, redução da pressão arterial e aumento da performance. A maioria destes benefícios deve-se ao elevado conteúdo de nitratos.


Existiu um elevado debate sobre esta substância, com algumas pessoas a acreditar que estes seriam prejudiciais, podendo causar cancro. Contudo, este risco está associado aos nitritos presentes em aditivos alimentares, carnes processadas ou curadas(1–3).


A maioria do nitrato dietético (80-95%) encontra-se em frutas e vegetais. No nosso organismo os nitratos são convertidos em óxido nítrico, responsável por um conjunto de processos que leva ao relaxamento das células musculares das nossas artérias(4,5). Isto leva a uma dilatação dos vasos sanguíneos e a uma redução da pressão arterial(6). São vários os artigos que associam o seu consumo a uma redução do risco de doença cardíaca, levando a uma redução da pressão arterial em 3-10 mmHg durante um período de poucas horas(7–9).


Também na prática do exercício o seu consumo é promissor, apresentado a capacidade de aumentar a performance, particularmente durante exercícios de endurance. O aumento do óxido nítrico provoca um aumento da vasodilatação e reduz o custo do oxigénio durante o exercício(10). São vários os estudos que apontam para um aumento da performance em desportos como o ciclismo e a corrida(11–15).


O consumo de beterraba é bem tolerado pela maioria da população, com a exceção de indivíduos que apresentem historial de formação de pedras nos rins – uma vez que apresenta grandes níveis de oxalato, um anti nutriente que, presente em grandes quantidades, prejudica a absorção de alguns micronutrientes(16). Algo curioso associado ao consumo de beterraba é a cor da urina tornar-se vermelha ou rosa, algo que é perfeitamente normal.


 

Bibliografia:


1. Milkowski A, Garg HK, Coughlin JR, Bryan NS. Nutritional epidemiology in the context of nitric oxide biology: A risk-benefit evaluation for dietary nitrite and nitrate. Nitric Oxide - Biol Chem [Internet]. 2010;22(2):110–9. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/j.niox.2009.08.004

2. Larsson SC, Bergkvist L, Wolk A. Processed meat consumption, dietary nitrosamines and stomach cancer risk in a cohort of Swedish women. Int J Cancer. 2006;119(4):915–9.

3. Hord NG, Tang Y, Bryan NS. Food sources of nitrates and nitrites: The physiologic context for potential health benefits. Am J Clin Nutr. 2009;90(1):1–10.

4. Moncada S, Higgs EA. Nitric oxide and the vascular endothelium. Handb Exp Pharmacol. 2006;176(PART1):213–54.

5. Hord NG. Dietary nitrates, nitrites, and cardiovascular disease. Curr Atheroscler Rep. 2011;13(6):484–92.

6. Lundberg JO, Govoni M. Inorganic nitrate is a possible source for systemic generation of nitric oxide. Free Radic Biol Med. 2004;37(3):395–400.

7. Webb AJ, Patel N, Loukogeorgakis S, Okorie M, Aboud Z, Misra S, et al. Acute blood pressure lowering, vasoprotective, and antiplatelet properties of dietary nitrate via bioconversion to nitrite. Hypertension. 2008;51(3):784–90.

8. Siervo M, Lara J, Ogbonmwan I, Mathers JC. Inorganic nitrate and beetroot juice supplementation reduces blood pressure in adults: A systematic review and meta-analysis. J Nutr. 2013;143(6):818–26.

9. Hobbs DA, George TW, Lovegrove JA. The effects of dietary nitrate on blood pressure and endothelial function: A review of human intervention studies. Nutr Res Rev. 2013;26(2):210–22.

10. Larsen FJ, Schiffer TA, Borniquel S, Sahlin K, Ekblom B, Lundberg JO, et al. Dietary inorganic nitrate improves mitochondrial efficiency in humans. Cell Metab. 2011;13(2):149–59.

11. Murphy M, Eliot K, Heuertz RM, Weiss E. Whole Beetroot Consumption Acutely Improves Running Performance. J Acad Nutr Diet [Internet]. 2012;112(4):548–52. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/j.jand.2011.12.002

12. Cermak NM, Gibala MJ, Van Loon LJC. Nitrate supplementation’s improvement of 10-km time-trial performance in trained cyclists. Int J Sport Nutr Exerc Metab. 2012;22(1):64–71.

13. Wylie LJ, Mohr M, Krustrup P, Jackman SR, Ermιdis G, Kelly J, et al. Dietary nitrate supplementation improves team sport-specific intense intermittent exercise performance. Eur J Appl Physiol. 2013;113(7):1673–84.

14. Lansley KE, Winyard PG, Fulford J, Vanhatalo A, Bailey SJ, Blackwell JR, et al. Dietary nitrate supplementation reduces the O2 cost of walking and running: A placebo-controlled study. J Appl Physiol. 2011;110(3):591–600.

15. Larsen FJ, Weitzberg E, Lundberg JO, Ekblom B. Effects of dietary nitrate on oxygen cost during exercise. Acta Physiol. 2007;191(1):59–66.

16. Chai W, Liebman M. Effect of different cooking methods on vegetable oxalate content. J Agric Food Chem. 2005;53(8):3027–30.


 

Por: André Carvalhinho: Nutricionista do clube de saúde Krush-it Coimbra, membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas nº4562N e Joana Samora Santos: Nutricionista do clube de saúde Kalorias Torres Vedras, membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas nº4309N.

18 visualizações