Aveia: os benefícios deste cereal

A aveia tem uma longa história de uso como alimento humano e animal. Desde as suas origens, a aveia adaptou-se a uma ampla variedade de condições climatéricas e de regiões geográficas. A sua composição única de macronutrientes, micronutrientes, fitoquímicos e o seu alto valor nutricional, tornam a aveia única entre os cereais. A aveia caracteriza-se por possuir hidratos de carbono (amido), proteína, ácidos gordos insaturados e fibras alimentares (solúveis e insolúveis).


As fibras solúveis presentes na aveia são denominadas por β-glucanos (beta-glucanos), que possuem excelentes propriedades funcionais e nutricionais. A ingestão destas fibras em doses diárias parece reduzir os níveis de colesterol total e de lipoproteínas de baixa densidade (LDL) plasmática. As fibras alimentares presentes na aveia, podem também ter um papel ativo na regulação e proteção da flora intestinal, na regulação da glicémia e na promoção da saciedade.


A aveia contém ainda micronutrientes, como vitamina E, folatos, zinco, ferro, selénio, cobre, manganês, carotenoides e ainda aminoácidos como betaínas e arginina. A arginina é um aminoácido que tem importância na resposta imunológica e cicatrização de tecidos. Estudos demonstram que os compostos fenólicos na aveia possuem propriedades antioxidantes, podendo melhorar a função endotelial, a sinalização celular e possuir propriedades anti-inflamatórias.

Apesar da aveia, naturalmente, não apresentar glúten, poderá ser contaminada no momento do tratamento e processamento de diversos cereais, como o trigo ou o centeio, desta forma, é necessário que os doentes celíacos verifiquem os rótulos dos produtos, no sentido de se certificarem sobre a inexistência de glúten.


Por todos os benefícios que a aveia apresenta, deverá dar asas à imaginação e experimentar diversas receitas. Desde pão, panquecas, bolos, bolachas, muesli, a base de pizza e quiche, deguste este maravilhoso cereal, com grande potencial gastronómico.

REFERÊNCIAS:

1. Sang S, Chu Y. Whole grain oats, more than just a fiber: Role of unique phytochemicals. Mol Nutr Food Res. 2017 Jul;61(7). doi: 10.1002/mnfr.201600715. Epub 2017 Feb 22. PMID: 28067025.

2. Menon R, Gonzalez T, Ferruzzi M, Jackson E, Winderl D, Watson J. Oats-From Farm to Fork. Adv Food Nutr Res. 2016;77:1-55. doi: 10.1016/bs.afnr.2015.12.001. Epub 2016 Feb 22. PMID: 26944101.

3. Rebello CJ, O'Neil CE, Greenway FL. Dietary fiber and satiety: the effects of oats on satiety. Nutr Rev. 2016 Feb;74(2):131-47. doi: 10.1093/nutrit/nuv063. Epub 2016 Jan 2. PMID: 26724486; PMCID: PMC4757923. 4. Nutrimento (DGS) - https://nutrimento.pt/

Por: Milene Celestino: Nutricionista do clube de saúde Kalorias Montijo e Quinta do Conde, membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas nº1154N

29 visualizações

Posts recentes

Ver tudo